edna_oliveira2
A união do timbre escuro e quente com o pleno conhecimento dos estilos do Canto, principalmente o Bel Canto, fizeram de Edna D’Oliveira, natural de Belo Horizonte, Brasil, uma das mais importantes sopranos da América do Sul.
Especializou-se com Joy Mammon na Royal Academy of London e em Opera Performance com os Maestros Alex Imgram e Lionel Friend da English National Opera (Inglaterra). Em 2009 aperfeiçoou-se em Lieder na Alemanha e trabalhou sua voz em Viena com o soprano Eliane Coelho. Na mesma época participou de concertos de música de câmara em Bremen e cidades do interior da Alemanha.
Aclamada pelo público e crítica nos EUA como a “Kathleen Batlle brasileira” por sua refinada interpretação da ‘Floresta do Amazonas’ e as ‘Bachianas Brasileiras’ de Villa-Lobos no Arhst Center of Miami.
Em 2008, Edna recebeu excelentes críticas por seu trabalho em ‘Porgy and Bess’ como Bess e Laureta em ‘Gianni Schcchi’ no Teatro São Pedro; Echo em ‘Ariadne auf Naxos’ no Teatro Municipal de São Paulo e no XI Festival Amazonas de Ópera e, como Adele em ‘Die Fliedermaus’, no Festival Internacional de Ópera do Pará.
No Brasil, gravou ‘Floresta do Amazonas’ com a Filarmônica de Minas Gerais, encenando a mesma obra no Festival de Amazonas de Ópera. Durante o ano de 2010 foi solista da Cia. Brasileira de Ópera, sob direção e regência de John Neschling, no papel de ‘Madalena’ (Andrea Chénier) em Belo Horizonte e ‘Valencienne’ em Viúva Alegre de Franz Lehár. Em 2011 foi ‘Micaela’ em Carmem, ‘Ceci’ em ‘O Guarany’ e novamente um sucesso na remontagem da Viúva Alegre como ‘Valencienne’.
Com uma intensa carreira onde brilha tanto nos palcos de ópera como na plataforma de concerto, foi premiada em Concursos de Canto no Brasil, entre eles o Prêmio Puccini no II Concurso Maria Callas, Edna foi laureada com o Prêmio Carlos Gomes de ‘Melhor Cantora Solista’ (2011).
Versátil e dona de grande magnetismo cênico, tanto em papéis cômicos como em personagens líricos e densos, realiza, com igual competência, sofisticados recitais de canções e estrela musicais como ‘O Fantasma da Ópera’. Seu repertório operístico inclui Rigoletto (Gilda), A Flauta Mágica (Papagena), Elisir d´Amore (Adina), O Empresário (Mademoiselle Silberklang), Chapéu de Palha de Florença (Helena), Ariadne auf Naxos (Echo), Adele (O Morcego), entre outras, todos com sucesso absoluto de público e crítica.
No repertório de canções de câmera, merecem destaque os recitais ao lado da pianista escocesa Elizabeth Mucha, com quem apresentou as ‘Quatro Últimas Canções’ no Ciclo Richard Strauss da Sala Cecília Meireles, gravadas pela TV Brasil.
Seu repertório de música orquestral inclui a ‘Petite Messe Solennelle’ (Rossini), o ‘Réquiem’ e as ‘Missas em Dó menor’ e ‘Da Coroação’ de Mozart, ‘Carmina Burana’ de Orff entre muitos outros títulos. Solista da Nona Sinfonia de Beethoven em diversos teatros do Brasil, Edna se apresentou também em Genebra (Suíça) cantando o ‘Requiem’ de Fauré.
Participou de várias edições do Festival Amazonas de Ópera em Manaus e Belém do Pará. Trabalhou com os mais renomados regentes nacionais e internacionais como Alastair Willis, Neschling, Minczuck, Malheiro, Karabchevsk e à frente de orquestras como a Miami Orchestra, OSB, OSESP, OFMG, OSBM, OPES entre muitas outras em diversas cidades do Brasil.
Edna D’Oliveira finalizou o ano de 2011 com sucesso de público e crítica interpretando ‘Adele’ em Die Fliedermaus de Strauss. Abriu a Temporada 2012 do Teatro São Pedro, com as ‘Bachianas Brasileiras’ com a Orquestra de São Bernardo e vários concertos pelo Brasil. Interpretou ‘Amore’ na obra ‘Orfeu e Euridice’ na montagem inédita no novo Espaço das Artes de São Paulo realizada pelo Teatro Municipal de São Paulo.
Recentemente obteve grande sucesso em Mendonza, Argentina interpretando as ‘Bachianas’ de Villa-Lobos e ‘Il Gurarany’ de Carlos Gomes sob condução de Ligia Amadio.
Professora de canto na Escola Municipal de Música de São Paulo do Theatro Municipal, em 2013 participou de vários masterclass em Nova York com cantoras como Joyce Didonatto e outras grandes cantoras internacionais. Ainda neste ano, abriu a temporada de ópera com ‘La Cenerentola’ de Rossini no Teatro São Pedro, na qual obteve inúmeras críticas destacando seu desempenho vocal e performático ao lado da sua irmã mezzo-soprano Edineia de Oliveira.
Edna D’Oliveira é professora do Curso Superior de Música (Bacharelado) da Faculdade Cantareira.
www.ednadoliveira.com.br