Exposição Pintura em Ação

 

Trabalhos de alunos da disciplina Processos Criativos
Profs. Luiz Vicente e Carlos Frucci

15 a 19 de agosto
Pátio de entrada da Faculdade

A Pintura em Ação

exposicao_pintura_interna_19ago
Jackson Pollock

Com o fim da segunda guerra mundial, em 1945, o cenário geopolítico mudou drasticamente. Se a primeira guerra trouxe novas divisões para o continente europeu, a segunda terminou por dividir o mundo em dois blocos ideologicamente opostos que passaram a disputar a hegemonia mundial.

No ocidente, depois de 1945, os Estados Unidos lideravam o mundo ocidental capitalista, sobretudo política e economicamente. No entanto, a Europa, devastada pela guerra, ainda mantinha sobre si a qualidade de grande produtora cultural, tendo sido responsável pelas vanguardas artísticas do início do século XX. Paris, era ainda, sem dúvida o grande centro das artes desde o século XIX até a década de 1950. Faltava aos Estados Unidos essa notoriedade.

O artista norteamericano Jackson Pollock emerge nesse cenário como o primeiro artista responsável por algo novo e revigorante em um cenário fora da Europa. Desde a sua aurora como artista (influenciado por Picasso, Braque e outros) até a maturidade de seu trabalho que legou à história da arte as técnicas do dripping e do splashing, Pollock, apesar das críticas razoavelmente realistas que sua ascensão interessava ao sistema, marcou seu nome na história da arte como um dos artistas mais importantes do século XX, considerado o criador da técnica que se convencionou chamar de Expressionismo Abstrato ou ainda Action Painting.

A proposta aqui exposta dá conta da repetição dos processos do dripping e do splashing, que tornam-se, nesse contexto, importantes vetores para o desenvolvimento da criatividade, já que trabalham com a abstração, ou seja, com a imagem que se desvincula do real, não almejando ser algo reconhecível. Facilita, assim, a viagem no cérebro para o seu lado direito, o mais criativo, holístico, espacial, como enfatizou a autora Betty Edwards em seu livro clássico “Desenhando com o lado direito do cérebro”. Leitura muito oportuna aos que gostam de desenhar.

Esperamos que esses trabalhos despertem algo de diferente no observador, levando-o a, se for de seu interesse, a experimentar.

Prof. Luiz Vicente
Disciplina Processos Criativos do
curso de Publicidade e Propaganda/2014